Missão

Este ministério tem duas missões específicas: 1)Capelania aos Enlutados – Dar apoio espiritual e emocional aos enlutados através de uma ação social extensiva à comunidade, visando o consolo, o conforto e a evangelização, fazendo este trabalho conhecido amplamente no maior número possível de Igrejas, em especial na denominação batista, na qual somos pioneiros. 2) Visitação – Assistir aos membros da Igreja ou pessoas por eles indicadas, nas suas dificuldades espirituais, emocionais e físicas, objetivando apoiá-las integrando-as ou reintegrando-as à Igreja.

Visão

Reconhecendo a necessidade de atendimento tanto a pessoas da Igreja como da comunidade em suas demandas espirituais, emocionais e físicas em momentos específicos, este ministério tem uma visão social e evangelizadora através do serviço de capelania ao enlutados e visitação, integrado à visão global da Igreja que é edificar vidas que vão para o céu.

Ação

O trabalho é desenvolvido por equipes lideradas e coordenadas pelo Ministro de Capelania e Visitação. A capelania aos enlutados consta de assistência individual e coletiva das famílias enlutadas e outras a elas ligadas. Esta assistência consiste num momento de reflexão bíblica e oração, bem como a entrega de literatura apropriada para o momento, e informações sobre o “Culto In Memoriam”. A visitação é feita de acordo com as necessidades surgidas e comunicadas à Igreja.

Responsabilidades

·   Alcançar e treinar voluntários entre os membros da Igreja para o exercício deste ministério.

· Tornar serviço de Capelania aos enlutados conhecido amplamente nos meios evangélicos, principalmente na denominação.

·    Cadastrar todas as famílias enlutadas que passam pela Capela e manter contato através de cartas e outros meios apropriados.

·     Promover Operação Evangelística em Cemitérios.

·  Apoiar a Ação Social da Igreja visitando asilos, creches, comunidades carentes, hospitais e capelas de cemitérios.

·       Realizar cultos “In Memoriam”.

 

·  Visitar os membros ausentes da Igreja quer por motivo de doença ou outro, ajudando-os na sua reintegração à Igreja.

Operacionalização

1. O Ministério de Capelania e Visitação desenvolve-se da seguinte forma:

8Coordenação – Coordena o ministério de Capelania

8Secretaria – Atua na organização de cartas, convites e envio às famílias enlutadas; preparação da listagem de corpos que passaram pela capela, preparação de literaturas, etc.

8Equipe de Ação Social – Orienta a família enlutada sobre o regulamento da capela, serviços funerários, convênios atestados de óbitos, etc.,

8Equipe de voluntários – Atende a capela através de cerimônias fúnebres, folhetos, literaturas e visitação aos enlutados, etc.,

8Equipe de Aconselhamento e Acompanhamento – Aconselha e acompanha aos enlutados durante as fases do luto

8Equipe de Evangelismo – Atuam através de celebrações de cunho evangelístico, Culto In Memoriam, distribuição de folhetos, literaturas, etc.,

8Famílias Enlutadas – Famílias atendidas, consoladas e acompanhadas através das equipes.

8Reajustamento à Realidade – Finalidade geral do Ministério

8Integração – Finalidade do ministério

bispo-marcelo-pires-fazendo-visita-no-hospital

2. Coordenação de visitas: ​

(a) Enfermos domiciliares e em hospitais (b) Membros ausentes:

8Ministério de Visitação – Ministro de Visitação

8Coordenação – Coordena o Ministério de Visitação

8Corpo Diaconal – Atua diretamente na visitação

8Equipe de Ação Social – Atende as famílias em suas necessidades financeira, social, etc.,

8Equipe de Voluntários – Apóia o ministério de visitação em todas as suas áreas acompanhando e aconselhando as famílias e pessoas visitadas podendo também atuar através de cartas e literaturas.

8Equipe de aconselhamento e Acompanhamento – Acompanha e aconselha as famílias e pessoas visitadas

8Membros Ausentes – Visitação e aconselhamento

8Enfermos – Visitação, acompanhamento e consolação.

8Enlutado – Visitação, acompanhamento, aconselhamento e consolação.

8Integração – Finalidade do ministério

 O luto é uma experiência universal e para tirar proveito desta experiência, deve-se aceitar ajuda de amigos, grupos específicos Igrejas, etc. É uma resposta normal e saudável a diferentes tipos de perdas. Uma das maiores perdas que pode acontecer é a morte de alguém que se ama. Outras perdas que podem causar o luto incluem a perda de sua saúde, ou da saúde de alguém que você gosta, ou o fim de um relacionamento importante. O nosso desejo é que cada irmão, conhecendo agora este ministério, e sabedores do grande contingente de pessoas que precisam de apoio e ajuda, possam sentir-se responsáveis por elas. Que Deus nos abençoe e nos capacite cada vez mais para realizar esse tão grande compromisso.